Postagem em destaque

saiba

VE

3536-3414-bmc-emprestimo-para-servidor-pmsp

BMC Empréstimo para servidor PMSP

Para dar vazão ao reforço de "funding" que ganhou no acordo de cessão de R$ 2 bilhões em créditos para o Bradesco, o Banco BMC está ampliando a sua distribuição. A instituição selou parceria com a Rede Fácil, empresa gestora de pontos no varejo que atuam como correspondentes bancários, para oferta do empréstimo com desconto em folha de pagamento a aposentados e pensionistas do INSS. De início, serão 95 pontos de venda, situados em 28 municípios do Vale do Paraíba, em São Paulo.

"Nos convênios com órgãos públicos, prefeituras, Exército, Marinha ou Aeronáutica, o banco sabe onde o cliente está, mas na consignação do INSS não, porque os aposentados - estima-se que sejam 19 milhões - estão espalhados pelo país", diz o executivo de Governo e Consignação do BMC, Alex Sander Gonçalvez. "A rede de distribuição é fator fundamental para o sucesso ou não de uma instituição financeira nesse campo."

A expectativa do executivo é de que ao cobrir uma região como o Vale do Paraíba, com cerca de 4 milhões de habitantes, o BMC atinja a produção prevista de R$ 60 milhões mensais no acordo com o Bradesco, válido por três anos. Por enquanto, os desembolsos situam-se entre R$ 30 e R$ 35 milhões. Toda a rede de distribuição do BMC é terceirizada e até aqui era composta por 150 correspondentes em todo o Brasil.

Segundo o presidente da Rede Fácil, Fernando Cabral, só nos pontos conveniados de municípios do Vale do Paraíba há um fluxo cativo de 800 mil pessoas por mês que realizam algum tipo de transação junto aos lojistas parceiros. A expectativa do executivo é de, num prazo de seis meses, produzir R$ 10 milhões mensais em operações de crédito consignado para o Banco BMC.

"A rede mantém contratos com concessionárias de serviços públicos e em alguns deles é a recebedora prioritária das contas dos consumidores residenciais, o que gera um fluxo quase que compulsório para esses pontos", diz Cabral. A Bandeirante Energia, que atua na região do Alto Tietê e Vale do Paraíba, por exemplo, cortou o convênio com as lotéricas e agora concentra a arrecadação pela Rede Fácil. Na lista de empresas conveniadas ainda estão Brasil Telecom, Cerj, CEB, CPFL, CTBC, Elektro, Embratel, Ligth, Eletropaulo Metropolitana, Grupo Rede, Piratininga, Sabesp, Telefônica e Telemar, entre outras.

Na briga pelo consignado de INSS vários namoros tiveram curso no mercado. Primeiro, envolvendo nomes de peso como Bradesco, Itaú e HSBC que se associaram a bancos de menor porte, especializados neste nicho. Alguns vão tentar o vôo solo como o Unibanco. O ABN Amro Real anuncia hoje um acordo de compra de carteira de consignação. Mas mesmo entre as instituições pequenas, as associações têm sido bem-vindas.

O Banco BGN, do Grupo Queiroz Galvão, firmou parceria com o Lemon Bank para oferta de crédito na rede de correspondentes em Pernambuco e São José do Rio Preto, avançando em seguida para outras cidades do Sudeste e Nordeste. "O foco será em INSS em função da capilaridade", diz o diretor-geral do Lemon, Michael Esrubilsky. A expectativa é gerar, em três anos, R$ 700 milhões para o BGN.



 Amplia rede para a oferta de consignado
Gazeta Mercantil - 17/03/2005-São Paulo,

Adriana Cotias