Postagem em destaque

saiba

VE

3536-3414O banco Cruzeiro do Sul crédito consignado



O banco Cruzeiro do Sul.

O banco Cruzeiro do Sul decidiu brigar pela reabilitação do cartão de crédito consignado para aposentados do INSS. A venda do produto, oferecido só pelo próprio Cruzeiro do Sul e pelo BMG, foi suspensa pelo Conselho Nacional da Previdência Social em novembro. Entre as razões do Conselho, aparecem desde descaracterização do consignado, dificuldade de cálculo dos juros reais até perda de controle de gastos.

Luis Octavio Índio da Costa, diretor executivo do banco, informa que encomendou ao Ibope uma pesquisa que mostrou 88% de satisfação dos usuários com o cartão, e ao Dieese um estudo sobre o fluxo econômico-financeiro. Os resultados foram apresentados ao Conselho na última sexta. A decisão final do Conselho está prevista para 15 de fevereiro.

O cartão, com bandeira Visa, cobra juros de 3,2% ao mês para o crédito rotativo - mas segundo Índio da Costa apenas 18% dos aposentados e pensionistas usam o crédito, o resto apenas usa para fazer compras com 40 dias para pagar.

O Cruzeiro do Sul tem o produto para aposentados desde outubro do ano passado, e já atingiu 93 mil cartões ativos. Além destes, o banco tem ainda cartões de crédito consignado para funcionários públicos de vários estados e municípios brasileiros. Segundo o executivo, apenas 30% dos funcionários e aposentados tomam crédito consignado - já o cartão pode ser usado por todos. "Tem gente que não quer empréstimo, quer apenas um limite de compras, que pode ser concedido com a garantia da consignação do salário", explica.

O Cruzeiro do Sul tem uma carteira de R$ 2 bilhões em consignado, dos quais R$ 1,4 bilhão cedidos a bancos maiores. O crescimento, em 2005, foi de 38%, e para 2006 Índio da Costa espera aumento de 30%. O lucro líquido deve fechar em R$ 35 milhões.
Cruzeiro do Sul briga pelo cartão consignado
Gazeta Mercantil - 21/12/2005


: