Postagem em destaque

saiba

VE

Paraná Banco

Mais suscetíveis à crise, a ponto de trazer grandes preocupações ao Banco Central no final do ano passado, os bancos menores começam a divulgar balanços em que a adoção de posições conservadoras, se não trouxeram resultados melhores, pelo menos garantiram a estrutura e as ações de mercado para um possível recomeço de operações mais próximas do normal neste início de 2009. É o que dá para deduzir dos resultados apresentados ontem pelo Paraná Banco que chegou a um lucro líquido de R$ 84,1 milhões em 2008, com um crescimento de 11,1% em comparação a 2007, quando foram registrados R$ 75,7 milhões. O lucro apresentado representa um retorno sobre o patrimônio líquido de 10,5% e um índice de eficiência de 42,1% no ano.

"Se as operações fossem normais durante todo o ano, o lucro certamente atingiria a R$ 100 milhões", afirma Cristiano Malucelli, diretor de relações com investidores do Paraná Banco. No quarto trimestre de 2008, o lucro caiu 55% em relação ao mesmo período de 2007, atingindo a R$ 16 milhões, enquanto o índice de eficiência passou de 35,5% para 51,7%, um aumento de 16,2 pontos percentuais. O Paraná Banco se preparou para a crise baixando ao máximo a sua alavancagem e fechou o ano com uma confortável situação de caixa - R$ 600,3 milhões -, correspondendo a 78,4% dos depósitos totais, o que segundo Malucelli permitiu manter uma estratégia eficiente frente às incertezas do mercado. Em junho de 2007, o Paraná lançou ações na Bolsa de Valores de São Paulo, operação pela qual captou cerca de R$ 604 milhões.

"Nós já estamos vislumbrando uma situação em que será possível voltar a operar com mais vigor junto a pessoas jurídicas, principalmente pequenas e médias empresas, o momento agora é bom." O Paraná Banco é especializado em crédito consignado, carteira que compõe 91% de suas operações e, no ano passado, chegou a vender R$ 340 milhões destes ativos para fazer caixa. "Fechamos o ano como um dos bancos mais líquidos do Brasil", conta. As operações de crédito em 2008 somaram R$ 1,10 bilhão, queda de 8,3% em relação a 2007, enquanto os ativos totais ficaram em R$ 1,97 bilhão, crescimento de 5,1%.

A J. Malucelli Seguradora, J. Malucelli Resseguradora e J.Malucelli Seguradora de Crédito (aguardando homologação da Susep para iniciar as operações) foram responsáveis por 27% do lucro do banco e, segundo ele, tendem a crescer neste ano.


O Paraná Banco, pioneiro em empréstimos com desconto em folha de pagamento no estado, já investe na divulgação de produtos voltados aos empregados do setor privado, agora respaldado pela Medida Provisória (MP) que permite aos trabalhadores buscar empréstimos com juros mais baixos. A intenção do Paraná Banco é entrar fortemente na disputa pelo segmento, que tem um potencial de 15 milhões de trabalhadores.

O diretor comercial, André Malucelli, afirma que a instituição já tem 5% de suas operações de crédito voltadas aos funcionários da iniciativa privada, embora a maior parte dos R$ 106 milhões movimentados em 2002 deva-se a produtos voltados aos servidores públicos. O pequeno percentual, segundo ele, decorre dos riscos de operação que existiam. "Mas, com a MP, ganhamos segurança e começaremos a investir mais no setor, que deve imediatamente ter a concorrência acentuada", afirma.

Os produtos antes oferecidos pelo banco passarão por uma reformulação, para atender às exigências do novo modelo de empréstimo. A primeira fase é a análise da MP, o que está sendo feito na Federação Brasileira de Bancos (Febraban) junto com representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e da Força Sindical.O principal produto do Paraná Banco voltado à iniciativa privada é o Cartão Paraná Banco Mastercard. Como vantagens, o produto oferece segurança (com o desconto em folha) e taxas de juros em torno de 3,5% ao mês, enquanto similares chegam a cobrar 12%. Os investimentos na divulgação se estenderão aos 12 estados onde o banco atua. O Paraná Banco acaba de expandir suas atividades para o Nordeste, a partir de convênio com o governo da Bahia e com a prefeitura de Salvador - a previsão é de que as operações no estado se iniciem dentro de 60 dias. Segundo Malucelli, a região tem um potencial de 300 mil pessoas.

O plano do banco é consolidar a presença nas regiões onde já atua. Para este ano, a instituição prevê um crescimento de 30% a 40%, devendo atingir R$ 142 milhões em operações de crédito. No primeiro semestre, o banco registrou lucro líquido de R$ 10,6 milhões, 51% a mais do que o obtido no mesmo período do ano passado.

O Paraná Banco pertence ao Grupo J. Malucelli, um conglomerado formado por mais de 20 empresas que atuam nos segmentos de construção civil, energia, esporte, turismo, comunicação, seguros e agropecuário, além de financeiro. O patrimônio líquido do grupo é superior a R$ 100 milhões.