sexta-feira, 31 de outubro de 2014

São Paulo - O Banco BMC-3536-3414

São Paulo - O Banco BMC estuda alternativas de se capitalizar para financiar a manutenção do crescimento das suas operações de crédito. "O rating A3.br (equivalente a A-, em moeda local) dado nesta semana pela empresa de classificação de risco Moody´s vai permitir ao banco acesso a outros investidores (menos avessos a riscos), o que será fundamental para impulsionar nossos planos de captação nos mercados interno e externo", afirma Andrea Pinheiro, vice-presidente do BMC. Segundo ela, entre as opções de capitalização em análise, estão a emissão de dívida subordinada (que entra como capital no patrimônio do banco) e a abertura de capital. O índice de alavancagem do banco (ativos ponderados pelo risco, em relação ao patrimônio - conhecido como índice de Basiléia) está em 16% - o mínimo aceito pelo Banco Central é 11%.

Andrea acredita que em 2007 o banco terá fôlego para continuar crescendo. Em 2006, até o final de outubro, a carteira de crédito para empresas médias (um dos três focos de atuação do banco) estava em R$ 492 milhões - a previsão é terminar o ano em R$ 560 milhões, 56% acima do que era em dezembro último. A produção de financiamentos de veículos, que foi de R$ 227 milhões em 2005, deve fechar 2006 em R$ 315 milhões - um aumento de 39%; e a de crédito consignado vai subir 36%, dos R$ 700 milhões produzidos no ano passado para R$ 950 milhões em 2006.