terça-feira, 19 de abril de 2022

Título: BMG ofertará empréstimo em consignação para aposentados
Autor: Adriana Cotias
Fonte: Gazeta Mercantil, 10/09/2004, Finanças & Mercados, p. B-2

O banco pretende ampliar a carteira em 50% até junho de 2005. O Banco BMG lança, hoje, a sua linha de crédito em consignação para aposentados e pensionistas do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). Será a primeira instituição financeira privada a oferecer a modalidade, disponível há cerca de três meses apenas na Caixa Econômica Federal.

Pelo convênio, o banco pretende atingir, até junho de 2005, pelo menos 10% das 22 milhões de pessoas que recebem seus benefícios mensalmente da previdência pública. Com a inclusão deste público, a expectativa do vice-presidente do BMG, Roberto Rigotto, é de que a atual carteira de crédito, de cerca de R$ 3 bilhões, cresça 50% nos próximos nove meses.

"Era a única categoria que estava fora do crédito com desconto em folha de pagamento e pelos testes feitos a demanda promete ser grande", comenta. Segundo conta, em três dias na mídia mineira o banco atraiu 10 mil consultas. "Como as taxas são muito baixas, o BMG só terá resultados se fizer volume grande, mas quem chega primeiro tem esta oportunidade."

Os juros cobrados variam de 1,75% a 2,8% ao mês e tal qual nas demais operações consignadas as prestações mensais são limitadas a 30% do saldo líquido do benefício. Os prazos se estendem a até 36 meses. Na Caixa Econômica Federal, em três meses, os empréstimos tomados por aposentados e pensionistas do INSS já ultrapassam a casa dos R$ 600 milhões.

Sem ter como chegar aos beneficiários da previdência de forma ativa - já que o convênio com o INSS não inclui a abertura dos cadastros - o BMG optou por uma ampla divulgação na mídia. Os investimentos chegam a R$ 20 milhões por uma exposição de três meses para divulgação do seu 0800. Para atender à demanda extra que ultrapasse a estrutura própria de atendimento, a instituição também contratou o serviço de "call center" da Telemar. A comunicação começa no Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais e na quarta-feira será ampliada para os outros estados.

Os contratos serão formalizados eletronicamente ou por meio dos 20 mil agentes de crédito e 700 correspondentes bancários que o BMG tem em todo Brasil. O crédito será feito na conta do aposentado ou via ordem de pagamento no mesmo dia, independente do domicílio bancário. Segundo Rigotto, o tíquete médio das operações deve ficar em R$ 800, com cerca de 1 milhão de operações concretizadas até junho de 2005.

O BMG fechou o primeiro semestre com crescimento de 79% das operações de crédito, a R$ 1,65 bilhão, ante os R$ 917,1 milhões de junho de 2003. O lucro líquido chegou a R$ 76,6 milhões, 98% maior do que o computado no mesmo período do ano passado.

Nenhum comentário: